Archive | fevereiro 2014

O por quê da faixa azul em Maceió-AL

Desde ontem (17/02/14), passou a vigorar a faixa exclusiva para o tráfego de ônibus no eixo viário Fernandes Lima/Durval de Góes Monteiro, com fiscalização da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT). Até o dia 09 de março, no entanto, os condutores serão apenas orientados acerca da importância de se respeitar o espaço de circulação do transporte coletivo. A partir do dia 10, aqueles que desrespeitarem a nova faixa exclusiva serão autuados.

Com a notícia de implantação da faixa, inúmeras manifestações surgiram nas redes sociais. Lamentavelmente, a maioria delas são de vozes indignadas, esbravejando argumentos baseados no senso comum, alegando que a faixa é um erro e que representará o caos para o trânsito local. “Uma ideia insana”, dizem alguns.

Acontece, meu caros, que o caos já está instalado! Há muito tempo…

E, definitivamente, não foi o transporte público coletivo que o causou. Leia Mais…

Mobilidade urbana e exclusão social

O conceito de cidade é bastante heterogêneo. Há diversas definições que variam de acordo com o idioma ou a linha de interpretação, mas basicamente pode-se entendê-la como a transformação do meio ambiente natural para atender às necessidades das pessoas. Algumas delas legítimas, outras supérfluas, criadas ao longo da história.

A cidade nasce da fixação do ser humano em uma determinada localidade, abandonando a prática do nomadismo com o objetivo de estabilizar-se, promovendo as suas condições de subsistência e de desenvolvimento. Ao fixar-se e começar o desenvolvimento da agricultura e pecuária, surge a propriedade privada. É somente quando o ser humano estabelece limites em um determinado espaço e o torna “seu”, atribuindo valor ao espaço, antes públicos (de todos) e depois privados (de um dono), que começam a se desenvolver uma série de instituições que vão dar origem à cidade.

A origem e desenvolvimento das cidades sempre tiveram relação com a geração e acumulação de recursos. De fato, Ao longo da história a urbanização cumpriu, em diversos momentos, o papel de válvula de escape dos excedentes produzidos pela dinâmica do capitalismo. Grandes investimentos em infraestrutura e posteriores períodos de recessão/revolução são muito freqüentes na história. Leia Mais…